Cármen Lúcia rejeita ação contra Remessa Conforme do Governo Lula

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, rejeitou uma ação que questionava a validade do programa Remessa Conforme, do Governo Lula, que zerou o imposto sobre compras internacionais de até US$ 50.

O Supremo foi acionado pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal).

De acordo com a decisão de Cármen Lúcia, não é legalmente possível questionar uma portaria, o ato pelo qual a medida foi instituída, diretamente no STF via ação direta de inconstitucionalidade.

“Eventual ofensa às normas constitucionais pelas regras impugnadas, se existente, seria reflexa. Não se demonstra colisão ou descumprimento direto da Constituição da República pelo conteúdo e cuidado das normas impugnadas. Seria necessário, na espécie — se possível fosse o conhecimento da presente ação, o que não é, como antes demonstrado —, exame prévio de legalidade das normas em questão, contemplando-se, nos argumentos expostos na ação, matéria de legalidade, não de constitucionalidade direta e imediata”, disse a ministra do STF na decisão.

Ainda segundo Cármen Lúcia, a norma questionada pelas associações afeta outras atividades econômicas, tornando insuficiente a representação das entidades do setor calçadista.

“As normas impugnadas afetam empresas de comércio eletrônico que desenvolvem diversas atividades econômicas, não apenas atividades ligadas aos representados das autoras desta ação, vinculados à produção de calçados e couro em geral”, afirmou a ministra.

Fonte: Gazeta Brasil

Check Also

URGENTE: em pesquisa AtlasIntel, Pablo Marçal já ultrapassa Tabata e aparece em terceiro colado em Nunes; veja números

Guilherme Boulos, deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, lidera as …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *