Início » Regional » Goiás » Anápolis » Dono de clínica de reabilitação é preso por cárcere privado em Goiás

Dono de clínica de reabilitação é preso por cárcere privado em Goiás

Um proprietário de clínica de reabilitação de dependentes químicos foi preso por suspeita de manter pessoas em cárcere privado, em Anápolis, a 55 km da capital goiana, na terça-feira (26/10). Testemunhas informaram à Polícia Civil de Goiás que muitos internos eram mantidos na unidade de forma involuntária, mesmo sem decisão judicial.

A polícia realizou diligências em uma clínica localizada no bairro Jardim Promissão. O nome dela não foi divulgado. No local, segundo a investigação, foi constatado que internos, de fato, eram mantidos no estabelecimento de maneira involuntária. Alguns deles foram levados à força para o estabelecimento por monitores da unidade.

O proprietário da clínica, que também não teve seu nome divulgado, foi preso em flagrante pelo crime de cárcere privado. Ainda durante a ação, policiais prenderam um interno que tinha um mandado de prisão aberto. Ele foi encaminhado à unidade prisional de Anápolis, onde ficará à disposição do Poder Judiciário. A polícia não informou o crime que ele praticou.

Interdição

Por causa das irregularidades sanitárias, o estabelecimento foi interditado pela Vigilância Sanitária. Os internos foram acolhidos pela assistência social do município e encaminhados para as suas famílias.

Em outra clínica, no Bairro Sítio de Recreio Americanos do Brasil, as equipes constataram que havia autorização para funcionamento e realização de internações de dependentes químicos, inclusive internações involuntárias.

A Vigilância Sanitária fez uma inspeção no local e verificou que as instalações eram adequadas e o local presta o tratamento adequado aos internos. O responsável pela clínica foi notificado pela Vigilância Sanitária apenas para adequação de algumas documentações junto ao órgão.

O Metrópoles não conseguiu identificar a defesa do proprietário da clínica em situação irregular e do interno que foi preso porque tinha mandado de prisão pendente de cumprimento, já que os nomes deles não foram divulgados.

 

Fonte: Metrópoles

Veja Também

Caseiro suspeito de matar mulher, enteada e vizinho pode responder por sete crimes com penas que ultrapassam 120 anos, diz polícia

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, que confessou ter matado a mulher grávida, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *