Fabiano Silveira não pode continuar ministro

O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e seu gravador continuam a contribuir para expor as conspirações contra a Lava-Jato em Brasília, inclusive no governo do presidente interino Michel Temer, algo inaceitável.

Primeiro, o senador Romero Jucá, ministro do Planejamento de Temer, muito próximo ao presidente, foi gravado em conspirata com o presidente do Senado, Renan Calheiros, para desestabilizar a Operação. Os dois estão na malha da Lava-Jato. Temer agiu com a rapidez necessária, e Jucá perdeu o cargo.

Agora, como revelou o “Fantástico” ontem, mais um alto funcionário do governo se coloca contra a ação da força-tarefa de Curitiba: Fabiano Silveira, ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, pasta que se chamava Controladoria Geral da União (CGU). Chega ser uma contradição em termos o responsável por controles e transparência tentar criar obstáculos ao combate à corrupção.

Fabiano aparece, em gravações de Machado, dando conselhos a Renan e ao próprio ex-presidente da Transpetro para escaparem das investigações do Ministério Público. O “Fantástico” apurou que o ministro chegou a fazer visitas a representantes do MP, inclusive ao procurador-geral, Rodrigo Janot, para levantar informações que auxiliassem Renan. Há registros de conversas entre Renan e Machado sobre o suposto êxito desta espionagem do ministro.

Temer precisa aplicar a mesma regra que valeu para Jucá: não se admite no governo qualquer conspiração contra a Lava-Jato. Só assim será levado a sério o compromisso público assumido pelo presidente de apoiar a Operação e todo o combate à corrupção. Isso é tão essencial para o governo Temer como a contenção da crise econômica.

Fonte: O Globo

Check Also

Saiba em qual situação você fica isento de pagar Imposto de Renda em venda de imóvel

Muitos indivíduos não estão cientes de que, ao vender um bem ou direito, podem estar …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *