Início » Destaque Coluna » Homem é preso por atropelar e matar integrante de torcida rival

Homem é preso por atropelar e matar integrante de torcida rival

A rivalidade no futebol goiano levou um homem de 31 anos a atropelar de propósito e matar um rapaz que era integrante de uma torcida rival. O suspeito foi preso na sexta-feira (22/10), depois de mais de dois meses de investigação.

Gabriel Inácio Itacarambi, de 26 anos, era torcedor do Goiás, estava de moto e foi perseguido nas ruas de Goiânia, na madrugada do dia 13 de agosto, por um torcedor do Vila Nova.

Por quase três quilômetros, o homem acompanhou o rapaz até chegar ao ponto da Avenida T-2, onde ele jogou o carro, intencionalmente, na direção de Gabriel.

Morte no local

Após ser atropelado, Gabriel bateu com a moto em um poste e morreu no local. O suspeito seguiu caminho, sem prestar nenhuma assistência.

A princípio, o crime vinha sendo tratado como homicídio culposo. Após as diligências e com a obtenção das imagens de câmeras de segurança, a Polícia Civil de Goiás (PCGO) observou que se trata, na verdade, de homicídio qualificado.

O homem preso teria contado com o auxílio de comparsas. Conforme a investigação, após o atropelamento de Gabriel, outros homens que estavam em um segundo veículo teriam descido e chutado não só a motocicleta, mas o próprio rapaz agonizante.

Monitoramento

Todos os envolvidos seriam integrantes da torcida organizada do Vila Nova. A polícia descobriu que eles monitoraram Gabriel por mais de uma hora, antes do crime.

O rapaz possuía histórico de rivalidade com torcedores do time. No ano passado, ele foi condenado por um caso de lesão corporal contra um adolescente de 16 anos, ocorrido em setembro de 2019. O jovem era torcedor do Vila.

O homem preso por matar Gabriel foi autuado ainda por tráfico de drogas. Ele foi encontrado com entorpecentes prontos para comercialização e confessou mais esse crime para a polícia.

FONTE: METRÓPOLES

Veja Também

Caseiro suspeito de matar mulher, enteada e vizinho pode responder por sete crimes com penas que ultrapassam 120 anos, diz polícia

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, que confessou ter matado a mulher grávida, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *