Início » Destaque Coluna » Homem que ficou 21 anos foragido após matar companheira é condenado pelo crime em Cachoeira Alta, diz MP

Homem que ficou 21 anos foragido após matar companheira é condenado pelo crime em Cachoeira Alta, diz MP

Sebastião Vieira da Silva foi condenado a 25 anos de prisão pelo homicídio de sua então companheira, Almerinda Helena Miranda, que aconteceu em 23 de setembro de 1999, a golpes de faca, na casa em que o casal morava. Após o fato, ele ficou foragido por 21 anos, de acordo com o Ministério Público de Goiás (MP-GO).

A sentença foi dada pelo juiz Filipe Luis Peruca na quarta-feira (17). A condenação ainda teve as qualificadoras de motivo fútil e utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima.

Depois de praticar o crime, Sebastião Vieira fugiu, mas foi capturado em 23 de abril deste ano, em Arcos (MG), em cumprimento a mandado de prisão, segundo o Ministério Público.

A denúncia foi feita pelo MP em 27 de dezembro de 1999 e recebida pela Justiça em maio de 2003. Na época, o Judiciário designou o interrogatório e a citação de Sebastião via edital. Ao decretar a prisão preventiva, a Justiça determinou a suspensão do processo e do prazo prescricional. O caso foi retomado pelo Judiciário após a prisão.

Ameaças de morte

Segundo a denúncia, o relacionamento do casal era conturbado, tendo a vítima relatado à Polícia Militar que teria recebido ameaças de morte do companheiro.

Com a situação aparentemente resolvida em relação à ameaça, o casal voltou a morar junto. Porém, o homem retomou a rotina de ameças.

A denúncia narra que o casal foi a uma festa. No local, a vítima contou que se separaria de Sebastião. Ele teria advertido a mulher dizendo que a mataria se saísse de casa.

Quando chegaram em casa, ele pegou uma faca, tapou a boca da companheira para impedir que ela pedisse socorro, e desferiu vários golpes. Segundo o MP, depois do crime, ele fugiu.

Fonte:G1

Veja Também

Caseiro suspeito de matar mulher, enteada e vizinho pode responder por sete crimes com penas que ultrapassam 120 anos, diz polícia

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, que confessou ter matado a mulher grávida, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *