O aparente agressor do filho de Moraes será “aparentemente” culpado?

Polícia Federal encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (4), o relatório da análise das imagens das câmeras de segurança do aeroporto de Roma. De acordo com os policiais, a análise do vídeo concluiu que o empresário Roberto Mantovani “aparentemente” agrediu com “hostilidade” o filho do ministro Alexandre de Moraes.

Após confrontar Alexandre Barci, filho do ministro, e impulsionar seu corpo contra ele, o empresário Roberto levantou a mão e “aparentemente” atingiu o rosto da vítima, resultando no deslocamento dos óculos, conforme narrado pela PF.

A Polícia Federal afirma que Andréia Munarão, esposa do empresário, foi quem provocou a confusão. Segundo o relatório, desde que avistou o ministro, ela passou a adotar uma postura visivelmente hostil, com gestos, projeções corporais e expressões faciais agressivas, acompanhadas de aparentes gritos.

A PF afirma que os vídeos desmentem a versão do casal. Em seu depoimento, Roberto Mantovani alegou que a discussão teve início porque o filho de Alexandre de Moraes teria ofendido e assediado Andreia.

O relatório destaca que o ministro e seus familiares chegaram à sala VIP de embarque sem causar qualquer alarde e aguardaram na fila para entrar. Segundo a PF, a discussão foi desencadeada pela atitude do casal, após Andreia aparentemente ter implicado com a presença de Moraes. Ao registrar o boletim de ocorrência, o ministro relatou ter sido chamado de “comunista”, “bandido”, “comprado” e “fraudador de urnas”.

Ao Estadãoo criminalista Ralph Tortima Filho, representante de Roberto Mantovani, questiona a contradição entre o sigilo das imagens do aeroporto e a divulgação do relatório contendo as mesmas imagens selecionadas pela PF. “Me parece contraditório o sigilo das imagens do aeroporto e, no mesmo passo, a divulgação de um relatório que contém as mesmas imagens, aquelas selecionadas pela PF“, disse o advogado.

Fonte: O antagonista

Check Also

Ronnie Lessa já reduziu pena em 200 dias lendo livros

foto: reprodução Ronnie Lessa, ex-policial militar e suspeito do assassinato da vereadora Marielle Franco e …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *