Início » Destaque Coluna » Polícia Civil investiga se filho de babá abusou de meninos de 2 e 3 anos em Mineiros

Polícia Civil investiga se filho de babá abusou de meninos de 2 e 3 anos em Mineiros

A Polícia Civil está investigando uma denúncia de abuso sexual contra dois irmãos de 2 e 3 anos em Mineiros, no sudoeste de Goiás. Segundo a corporação, o filho de 22 anos da babá recém-contratada das crianças é suspeito do crime.

O nome do investigado não foi divulgado, por isso o G1 não conseguiu localizar a defesa dele para pedir uma posição sobre o caso. De acordo com a Polícia Civil, as investigações estão ainda no começo. Assim, não foi solicitada a prisão do suspeito.

A denúncia foi feita pela mãe das crianças na terça-feira (3). Ela contou à Polícia Civil que os filhos reclamaram de dores nas partes íntimas e, quando ela perguntou o que aconteceu, um deles disse que foi tocado pelo filho da babá.

O delegado Thiago Escandolhero está responsável pela investigação e disse que, assim que recebeu a denúncia, pediu que as crianças fossem examinadas, mas que os médicos não constataram lesões nas partes íntimas dos irmãos. Também ainda não foi esclarecido o motivo de o jovem estar com a mãe no trabalho.

“Agora as crianças serão ouvidas, vamos tomar o depoimento da mãe, da genitora do investigado. Como não foram constatadas lesões, pode ser que seja necessário um laudo psicológico”, explicou.

Thiago disse ainda que o fato de não haver lesões aparentes não significa que o abuso não aconteceu. Ele esclareceu que por causa disso é tão importante que as crianças sejam ouvidas e que com meninos tão pequenos é necessário um procedimento especial com profissionais preparados para colher esses depoimentos.

A Polícia Civil não divulgou se o jovem suspeito do crime já prestou depoimento ou se ainda será intimado.

Fonte:G1

Veja Também

Após morte de Ronaldo Caiado Filho, Goiás decreta luto oficial de três dias e fecha agenda do governador

O governador Ronaldo Caiado (UB) decretou luto oficial no estado por três dias pela morte …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.