Polícia prende suspeito de torturar padre; menores são apreendidos

Um homem e dois adolescentes, suspeitos de amarrar e agredir um padre indonésio na casa paroquial da Igreja Nossa Senhora Estrela do Mar, que fica em Ilha Comprida, no litoral de São Paulo, foram encontrados pela Polícia Civil.

A Polícia Militar foi atender uma ocorrência de invasão a uma casa. Um dos criminosos tinha as mesmas características de um dos autores do crime na casa paroquial. Ele foi levado para a delegacia, onde foi reconhecido por testemunhas. Por intermédio dele e, com apoio da Polícia Civil, os outros autores foram encontrados.

Ele foi preso e encaminhado para a Cadeia Pública de Iguape. Já os outros dois são menores de idade e estão na Cadeia Pública de Pariquera-Açu, esperando uma vaga na Fundação Casa.

Padre Kristiano é da Indonesia mas mora em Ilha Comprida (Foto: Arquivo Pesoal)

O Padre Kristiano, nativo da Indonésia, foi feito refém, amarrado e agredido durante um assalto a uma casa paroquial, na última terça-feira (8). A quadrilha, formada por quatro pessoas, fugiu levando cerca de R$ 2 mil, um cálice, correntes, um relógio, entre outros objetos pessoais.

Após o assalto, Kristiano, que tem 35 anos, foi socorrido e encaminhado ao Pronto Socorro de Ilha Comprida. Na última quarta-feira (9), ele recebeu alta médica.

Segundo o Padre Kristiano, os suspeitos esquentaram uma faca e utilizaram a arma para agredi-lo, após não localizarem um cofre durante a invasão. Além disso, a quadrilha permaneceu na paróquia por cerca de duas horas e meia.

“Colocaram uma meia na minha boca, esquentaram uma faca e me machucaram com ela. Queimaram uma parte da minha mão e depois do meu pé”, relatou Kristiano.

A ação também acabou resultando em diversos prejuízos para a paróquia. “Pegaram o cálice que estava lá, na sacristia, porque pensaram que era de ouro. Roubaram nosso sacrário e jogaram a hóstia sagrada no chão”, conclui.

Padre relatou agressões de criminosos no litoral de SP (Foto: Reprodução / TV Tribuna)
Fonte: G1

Check Also

Ronnie Lessa já reduziu pena em 200 dias lendo livros

foto: reprodução Ronnie Lessa, ex-policial militar e suspeito do assassinato da vereadora Marielle Franco e …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *