Produção industrial despenca pelo segundo mês seguido; veja números

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (3), a produção industrial do Brasil diminuiu 0,3% em fevereiro em relação a janeiro. Isso marca o segundo mês seguido de declínio, com uma perda total de 1,8%.

Em fevereiro, a produção diminuiu em uma das quatro principais categorias econômicas e em 10 dos 25 setores industriais pesquisados.

Os setores que mais contribuíram para a queda foram os de produtos químicos (-3,5%), indústrias extrativas (-0,9%) e produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-6,0%).

No entanto, houve um aumento na produção em 13 setores. Os que mais contribuíram para esse crescimento foram os de veículos automotores, reboques e carrocerias (6,5%) e celulose, papel e produtos de papel (5,8%).

Com esses dados, a produção industrial está 1,1% abaixo do nível pré-pandemia (fevereiro de 2020) e 17,7% abaixo do recorde alcançado em maio de 2011.

Também vale ressaltar o crescimento nos setores de produtos de minerais não metálicos (4,5%), produtos de borracha e de material plástico (3,0%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (4,2%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (2,4%).

Em comparação com o mês anterior, entre as grandes categorias econômicas, apenas os bens intermediários (-1,2%) apresentaram uma taxa negativa em fevereiro de 2024.

Fevereiro de 2024 x fevereiro de 2023

Em comparação com fevereiro de 2023, o índice cresceu 5%, registrando o sétimo resultado positivo consecutivo neste tipo de comparação. Nos últimos doze meses, houve avanço de 1%, intensificando o ritmo de crescimento frente aos resultados de janeiro de 2024 (0,4%) e de dezembro de 2023 (0,1%).

Entre as atividades, a maior influência negativa foi assinalada por produtos químicos e farmacêuticos (-17,5%), pressionada, em grande medida, pela menor produção de medicamentos. Outro impacto negativo importante foi registrado pelo setor de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (-8,3%).

Comparando com o mesmo período do ano anterior, o setor industrial registrou um crescimento de 4,3% nos primeiros dois meses de 2024.

Durante esse período, houve um aumento nas quatro principais categorias econômicas, em 20 dos 25 setores, em 55 dos 80 grupos e em 57,7% dos 789 produtos analisados. É importante mencionar que fevereiro de 2024 (19 dias) teve um dia útil a mais do que o mesmo mês do ano passado (18).

FONTE: terrabrasilnoticias

Check Also

URGENTE: em pesquisa AtlasIntel, Pablo Marçal já ultrapassa Tabata e aparece em terceiro colado em Nunes; veja números

Guilherme Boulos, deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, lidera as …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *