Rede privada tem 80% de ociosidade em algumas unidades

A Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg), com intuito de esclarecer informações e dissipar possível pânico entre as pessoas, informou que atualmente os hospitais privados têm 80% de ociosidade em algumas unidades. Ou seja, a maior parte dos leitos estão vazios por conta da redução dos atendimentos eletivos e baixa procura por parte de pessoas com suspeita ou contaminadas pela Covid-19. A rede particular não reconhece, no momento, colapso algum.

Ainda, o atendimento nos prontos-socorros dos hospitais associados caiu uma média de 50% desde o início da pandemia. Pacientes crônicos, que dependem de atendimento contínuo não deve interromper ou buscar tardiamente pelo tratamento. A falta de atendimento pode ser fatal, portanto, devem continuar o tratamento.

Já as unidades de terapia intensiva (UTI) contam com 500 leitos, dos quais 100 foram disponibilizados exclusivamente para pacientes com Covid-19. A média de ocupação desses leitos está em torno de 20%.

A Ahpaceg ainda reforça que todos os cuidados com higienização e proteção dos pacientes e profissionais têm sido providenciados. Os hospitais ainda tem tido cuidado especial com a proteção dos trabalhadores. O índice de contaminação pelo novo coronavírus entre cerca de 7,5 mil profissionais da saúde e administrativos e quase 4 mil médicos dos hospitais associados é inferior a 0,4%.

A emissão dos atestados de óbito segue rigorosamente as determinações do Ministério da Saúde nas Orientações para codificação das causas de morte no contexto da Covid-19.

Check Also

URGENTE: em pesquisa AtlasIntel, Pablo Marçal já ultrapassa Tabata e aparece em terceiro colado em Nunes; veja números

Guilherme Boulos, deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, lidera as …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *