Sem limpeza e segurança, escolas intercalam aulas em Campinas, SP

Escolas e creches da rede municipal Campinas (SP) estão intercalando aulas nesta quinta-feira (16) devido à falta de funcionários da limpeza e segurança. A Gocil, que detinha os contratos,rompeu com a Prefeitura e alega falta de pagamentos. O Executivo contesta esta versão afirmando que os 90 dias de atraso não ocorreram. O caso foi parar na Justiça.

Cartaz
Na Escola Júlio de Mesquita, no Jardim São Vicente, os funcionários colocaram um cartaz na porta da escola informando que cinco classes teriam aulas nesta quinta. Quatro escolas estão programadas para ter aulas nesta sexta-feira (17).

Nesta quinta, terão aulas os alunos do primeiro, segundo e terceiro anos. No período da tarde, vão ter atividades as crianças do sexto e sétimo anos.

Já na sexta-feira (17) pela manhã, aulas apenas para quarta e quinta séries. E para o período da tarde, classes funcionando para oitovo e nono anos. Sobre a próxima semana, o cartaz informa que os pais devem aguardar novas orientações.

Tubulação quebrada
A mãe de uma criança do Centro de Educação Infantil Arthur Bernardes, no Costa e Silva, disse ao G1 que na unidade só as crianças maiores estão tendo atividades.

Já os pais das mais novas recebem a informação de que elas não serão recebidas.

Segundo as mães, a tubulação do banheiro da escola está danificada. E no berçário, foram encontradas até pombas mortas. A Prefeitura ainda não se manifestou sobre os casos.

Solução definitiva
A Prefeitura informou que nos próximos dias terá uma solução definitiva para o problema após a saída da empresa que terceirizava os serviços de limpeza e segurança.

Em nota publicada no Diário Oficial, a Secretaria de Educação informou que serão usadas verbas do “Conta Escola” para a contratação de serviços em caráter de excepcionalidade até que o problema seja solucionado.

A Secretaria de Educação informou ainda que 50% das unidades, que estavam fechadas na quarta-feira (15), já providenciaram a contratação dos profissionais por meio do Conta Escola e as demais estão finalizando.

Sobre as aulas não dadas, a Secretaria informou que um calendário de reposições  será feito para que não haja prejuízo aos estudantes.

Gocil
A Secretaria de Administração está finalizando a contratação da empresa que substituirá a Gocil. O contrato deve vigorar a partir do dia 22 de junho e a verba do Conta Escola será utilizada para serviços de limpeza nesta semana e nos dois primeiros dias da semana que vem.

Entenda o caso
A Prefeitura admite o atraso nos pagamentos com a Gocil, mas alega que o rompimento é ilegal e por isso recorreu à Justiça. Ainda segundo a administração municipal, no dia 1º de abril um novo contrato para a segurança foi assinado, entretanto, o mês de maio também não foi pago.

A Gocil, por sua vez, informou que tentou estabelecer negociações e que no dia 1º de maio informou a Prefeitura sobre o rompimento.  Cerca de 1,6 mil funcionários prestam serviço em Campinas.

Na decisão, o juiz determina a execução do contrato “ante a prevalência do interesse público, dada a imprescindibilidade do serviço de vigilância para a garantia do patrimônio público”.

R$ 97,2 milhões
Gocil e Prefeitura têm dois contratos para segurança e limpeza das unidades educaionais. Ambos somam R$ 97,2 milhões e as assinaturas ocorreram nos meses de fevereiro e abril deste ano. Destes, R$ 65,4 milhões para o contrato da segurança e R$ 31,8 milhões para limpeza.

Cartaz afixado em unidade de atendimento médico em Campinas (Foto: Reprodução EPTV)
Fonte: G1

Check Also

Ronnie Lessa já reduziu pena em 200 dias lendo livros

foto: reprodução Ronnie Lessa, ex-policial militar e suspeito do assassinato da vereadora Marielle Franco e …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *